terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Lixeiras proliferam em zona histórica!

Se, por um lado, há dois posts trouxe a palco uma situação que se encontra solucionada, por outro, frisei também que a questão “dos lixos” está longe de estar resolvida. Efectivamente, na zona histórica da cidade de Estremoz vão proliferando algumas lixeiras, demonstrando que ainda há munícipes que abandonam os seus resíduos onde lhes dá mais jeito. Estas imagens não são novas e relembram velhos tempos a quem viveu nesta zona em meninice.
Há relativamente pouco tempo, três ou quatro anos, esta zona foi praticamente toda limpa, mas, pelos vistos, brevemente tudo voltará ao estado normal, ou seja, SUJO!
Enquanto que na primeira imagem se pode vislumbrar um colchão junto a um contentor do lixo, “boneco” da edição 701 do jornal Brados do Alentejo, na segunda este já se encontra numa destas lixeiras que tinha referido.
“Alguém se lembrou de que seria muito mais prático e menos burocrático atirar o lixo para a muralha, em vez de o transportar para o Ecocentro, que fica tão longe…”
O problema agrava-se, quando se começa a falar de saúde pública.
Devido a esta situação, o lixo torna-se um problema na medida que acumulado no ambiente produz odor e serve como foco de atracção de animais e insectos que poderão provocar doenças à população.
Perante tais evidências podemos chegar à conclusão de que o lixo é um problema da responsabilidade não só dos poderes públicos, mas também comunitário e individual, visto que cada um é responsável por colocá-lo em locais adequados e, assim, não gerando problemas para a comunidade. Estamos habituados a desperdício, deveríamos produzir apenas coisas verdadeiramente necessárias e duráveis e quando não as utilizamos mais, reciclá-las ou encontrar outras pessoas que precisem delas.

5 comentários:

Anónimo disse...

Como não vou muito para Santiago desconhecia esta situação. Mais um bom post.

Anónimo disse...

Além deste problçema, todo o bairro se encontra sujo e abandonado, como você várias vezes já aqui mostrou. A presidente de junta está-se completamente a borrifar para o bairro e para os seus habitantes

Anónimo disse...

Pois mas tambem dá para ver o tempo que o lixo fica sem ser recolhido. Tenho a prova da minha rua, que nada tem a ver com santiago, ao contrario do que a camara municipal comunica por ex:na rádio despertar,já constatei muitas vezes que a recolha ou não passa ou então passa, mas dá trabalho recolher e fica junto aos caixotes semanas a fio.

Armando disse...

Senhor anónimo das 13.16, a senhora presidente da junta nada pode fazer sobre este e outros assuntos, uma vez que este executivo lhe tem faltado com as verbas para salvaguardar as despesas correntes. Esteja calado se não está informado. Não venha mandar bocas de coisas que desconhece (ou talvez não).

Anónimo disse...

Sr. Armando, a Sra presidente da junta que se demita porque é presidente há décadas já o era em anteriores executivos e o problema existe desde sempre.