sábado, 28 de fevereiro de 2009

Padaria, frutaria, café ou pocilga?

Recebi este comentário e resolvi publicá-lo na íntegra:
(A sua publicação foi autorizada pelo autor)

“Ó senhor Jorge permita-me que fale aqui de um assunto diferente e até bastante caricato. Ontem na parte da tarde entrei num estabelecimento comercial na Avenida 25 de Abril, aí na sua cidade para beber um café e deparei-me com a seguinte situação: o proprietário do estabelecimento (soube mais tarde) mantém no interior do mesmo um leitão que segundo ele ficou órfão. Sim o leitão está VIVO e de boa saúde pelo menos aparente. Este estabelecimento vende produtos alimentares destinados ao consumo humano mas não acredito que LEITÃO VIVO se insira na categoria de produtos vendidos por este senhor.
Quando sai fiquei na dúvida se teria entrado numa padaria numa frutaria num café ou numa pocilga... Até porque o aspecto das mãos do senhor deixava bastante a desejar, para não falar de outras coisas. Posto isto pergunto eu por onde anda a ASAE que ainda não fez uma "visitinha" a este senhor? Há, já me esquecia soube mais tarde em conversa com um amigo ai de Estremoz que o dito senhor á uns tempos atrás aproveitou um sinal de transito para meter uma folha onde se podia ler vende-se pão no Nº36. Pelos vistos imaginação não lhe falta. Já agora aproveito para dizer que paguei o café mas não o bebi. Porque será?”

Boneco

Brados do Alentejo 453
03 de Julho de 1998

Mostra…
Mais uma situação em que os peões não têm por onde circular, em segurança, e que já dura há uns anitos… talvez venha a ser resolvida quando acontecer uma tragédia…(!?)
(curva do Gil em Estremoz, troço de estrada integrado no IP2… muitos já ali perderam a vida!)



Hoje

Actualmente, o passeio já existe e os peões já podem andar em segurança. O problema agrava-se quando falamos novamente em pessoas com mobilidade reduzida.
Como o passeio é muito estreito, muito dificilmente alguém que se desloque numa cadeira de rodas poderá circular naquele local.

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Estacionamentos...

À primeira vista esta imagem não tem nada de especial, pois são apenas dois automóveis que se encontram estacionados num parque de um supermercado da nossa cidade.

De estranhar, ou nem tanto, é o facto de estes dois veículos estarem a ocupar lugares de estacionamento destinados a pessoas com deficiência e não possuírem o dístico que os autoriza.
Ou seja, possivelmente estarão estacionados incorrectamente.
A realidade tem mostrado que as cidades, em geral, em vez de unir, separam as pessoas e em vez de incluir, excluem. Fazem-se passeios estreitos, coloca-se a sinalética informativa (publicitária e de trânsito) em qualquer sítio, localizam-se as árvores nos passeios em vez de se colocarem nos canteiros, não se fazem rebaixos de acesso aos passeio, etc..
Enfim, como se não bastasse um invariável número de barreiras que as pessoas com mobilidade reduzida têm que enfrentar no seu dia-a-dia, ainda há quem seja indiferente a estas dificuldades e ocupe os locais de estacionamento que lhes poderiam facilitar um pouco as coisas.

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Envio de fotografias

Como já várias pessoas me solicitaram as fotografias referentes ao Carnaval, peço que deixem uma mensagem neste post ou no meu e-mail para, assim que tiver oportunidade, as fazer chegar ao destinatário.

A mensagem deverá conter o nome e o e-mail da pessoa em questão.

Obrigado

terça-feira, 24 de fevereiro de 2009

Foi bom, mas já acabou!

E foi assim que chegou ao fim mais um Carnaval.
Apenas com a “prata da casa” e sem convidados famosos, o Carnaval 2009 Cidade de Estremoz chamou à rua centenas de pessoas para assistirem ao último dia de desfile.
Com mais de uma dezena de carros alegóricos e grupos de mascarados a pé, o tema deste Carnaval foi os “Bonecos de Estremoz”.
Os prémios de melhor carro alegórico e grupo mascarado foram atribuídos à mesma instituição, Associação Hípica de Estremoz.
Para eles deixo os meus PARABÉNS porque, na minha opinião, foram justos vencedores, mas gostaria também de salientar o esforço e empenho de todos os outros grupos que participaram no cortejo. São muitas noites perdidas para que o desfile se torne uma realidade!
De certa forma, são todos vencedores!
Obrigado por nos terem proporcionado bons momentos!

Associação Hípica de Estremoz



E está a chegar ao fim!

A segunda-feira sempre foi dos melhores dias para se brincar ao Carnaval em Estremoz e ontem não foi excepção.
Aqui vos deixo um vídeo, demonstrativo da diversão que se viveu na noite passada, com mais de 150 fotografias de foliões.

Um bom resto de Carnaval!

video

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Carnaval 2009 cidade de Estremoz

Realizou-se hoje, Domingo dia 22, o desfile de Carnaval 2009 Cidade de Estremoz, uma organização da Sociedade Filarmónica Artística Estremocense (União), da Sociedade Filarmónica Luzitana e Orfeão de Estremoz Tomaz Alcaide e que contou com o apoio da Câmara Municipal de Estremoz.
Com mais de uma dezena de carros alegóricos e grupos de mascarados a pé, o tema deste Carnaval é os “Bonecos de Estremoz”.
Um Boneco de Estremoz é uma peça de cerâmica modelada segundo tipologias de trabalho secularmente repetidas e iniciadas no século XVII.
Será atribuído um prémio ao melhor carro alegórico e grupo mascarado. O júri é constituído
por um elemento de cada grupo participante deste Carnaval 2009 Cidade de Estremoz.

Terça-feira há mais!


video

"Primeira noite a sério"!

Como “o que é prometido é devido”, o “Estremoz Revisited” vai continuar em festa!
Deixo-vos um vídeo com imagens bem divertidas de sábado à noite.


Espero que gostem.


video

sábado, 21 de fevereiro de 2009

Reguengo Bar na Inalentejo

Começámos ontem em ambiente de festa e assim vamos continuar até terça-feira. Deixemos as preocupações para o resto do ano e vamo-nos divertir “à grande” neste Carnaval!

A Inalentejo decidiu dedicar no seu último número uma página da sua revista “às grandes malhas dos anos 80”, festa que se realizou no passado dia 9 de Janeiro no Reguengo bar, em Estremoz, e que já passou por este blog.
As fotografias são minhas e do “Zé” Lameiras.

BOM CARNAVAL

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Desfile de Carnaval das Escolas do Concelho 2009

Realizou-se hoje, dia 19, o Desfile de Carnaval das Escolas do Concelho 2009, “Quando as personagens saíram das histórias”, organização do Agrupamento de Escolas de Estremoz e que contou com a participação de cerca de 1000 foliões.
O corso é uma oportunidade de mostrar as actividades desenvolvidas nas escolas, jardins-de-infância e instituições de ensino, sendo um ponto de encontro entre os projectos das escolas e a comunidade educativa.
A Câmara Municipal de Estremoz atribuiu um subsídio de dez euros por participante.

Deixo-vos aqui um vídeo com algumas imagens do desfile.

video

Observados "p'los de fora"!

O excerto do artigo que se segue, “Roteiro dos Castelos de Portugal. CRÓNICA 4”, encontra-se publicado num jornal online espanhol intitulado “ELLIBREPENSADOR” e é mais um exemplo do quanto a cidade de Estremoz é valorizada “pelos de fora”.
Possuindo um património edificado extenso e valioso, gente simples e acolhedora e uma gastronomia ímpar, entre outros aspectos que poderia aqui referir, temos grandes potencialidades para atrair visitantes principalmente do país vizinho, podendo esta ser mais uma forma de contrariar os previsíveis efeitos negativos da crise económica no nosso concelho.

“(…)Tal como nos contos de fadas, Estremoz nasce no interior das suas muralhas. Quantas histórias não terão ocorrido neste espaço? A provar isso mesmo, a enorme profusão de lendas ligadas ao castelo de Estremoz e às suas gentes. No que ao presente trabalho diz respeito, o castelo de Estremoz terá sido conquistado, em primeira instância, pelo herói lendário português, por muitos considerado também um traidor, Geraldo, Sem Pavor, uma figura que devido ao facto de a termos estudado para outra obra de nossa autoria, nos parece das mais fascinantes da história nacional. Isto sucedeu em torno de 1165. Mas a zona algarvia, durante muitos anos, mudava constantemente de posse, alternando entre mouros, espanhóis e portugueses. Só no século XIII, por intermédio de Dom Sancho II, é que Estremoz se incorporou de forma definitiva na coroa nacional. Em termos arquitectónicos, o castelo de Estremoz apresenta uma planta pentagonal, que se crê adaptada ao território onde se insere, e a entrada para a fortaleza faz-se mediante uma pequena ponte levadiça. A destacar, naturalmente, a imponente torre de menagem, cuja denominação tem oscilado entre Torre dos Três Reis e Torre das Três Coroas.


Outros motivos de interesse: Se aqui pretendêssemos deixar uma lista de todo o património edificado na região estremocense, por certo todos ficariam impressionados, pois é extensa e muito valiosa. Por isso mesmo, optámos por registar apenas alguns dos locais mais imponentes ou relevantes, a saber: a vila luso-romana de Santa Maria do Ameixial, o castelo de Veiros, os múltiplos pelourinhos e diversos templos religiosos, com destaque para o Convento dos Congregados, a Igreja de Santa Maria e a Capela de D. Fradique de Portugal”.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Cada coisa a seu tempo!

Esta imagem vem a propósito de dois temas que considero que poderão distrair os portugueses em relação a outros mais urgentes.
Não faz sentido, numa altura em que se apela para a união como forma de combater a crise profunda, que os políticos com questões como o casamento homossexual ou a eutanásia dividam a sociedade.
Por outro lado, como estamos tão preocupados com o desemprego, falências de empresas e pobreza, estes assuntos, possivelmente, não seriam tratados com a devida atenção e seriedade que efectivamente merecem.
Cada coisa a seu tempo!!!

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Lixeiras proliferam em zona histórica!

Se, por um lado, há dois posts trouxe a palco uma situação que se encontra solucionada, por outro, frisei também que a questão “dos lixos” está longe de estar resolvida. Efectivamente, na zona histórica da cidade de Estremoz vão proliferando algumas lixeiras, demonstrando que ainda há munícipes que abandonam os seus resíduos onde lhes dá mais jeito. Estas imagens não são novas e relembram velhos tempos a quem viveu nesta zona em meninice.
Há relativamente pouco tempo, três ou quatro anos, esta zona foi praticamente toda limpa, mas, pelos vistos, brevemente tudo voltará ao estado normal, ou seja, SUJO!
Enquanto que na primeira imagem se pode vislumbrar um colchão junto a um contentor do lixo, “boneco” da edição 701 do jornal Brados do Alentejo, na segunda este já se encontra numa destas lixeiras que tinha referido.
“Alguém se lembrou de que seria muito mais prático e menos burocrático atirar o lixo para a muralha, em vez de o transportar para o Ecocentro, que fica tão longe…”
O problema agrava-se, quando se começa a falar de saúde pública.
Devido a esta situação, o lixo torna-se um problema na medida que acumulado no ambiente produz odor e serve como foco de atracção de animais e insectos que poderão provocar doenças à população.
Perante tais evidências podemos chegar à conclusão de que o lixo é um problema da responsabilidade não só dos poderes públicos, mas também comunitário e individual, visto que cada um é responsável por colocá-lo em locais adequados e, assim, não gerando problemas para a comunidade. Estamos habituados a desperdício, deveríamos produzir apenas coisas verdadeiramente necessárias e duráveis e quando não as utilizamos mais, reciclá-las ou encontrar outras pessoas que precisem delas.

domingo, 15 de fevereiro de 2009

"ImPPressionismos"!

Para além de a exposição ser um bom motivo para visitarmos o Regimento de Cavalaria Nº3, o espaço onde esta se encontra, Palácio Reynolds, é de uma beleza arquitectónica que justifica a visita das pessoas.
Se puderem passem por lá, bebam um cafezinho no bar de oficiais e desfrutem da rara beleza do palácio e da exposição.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Boneco

Brados do Alentejo 446
27 de Março de 1998



Mostra…
Precisamente uma daquelas situações que dispensam comentário!


Hoje

Apesar de não ser a ideal, a recolha de Resíduos Sólidos Urbanos (RSU) na cidade de Estremoz tem melhorado bastante. Situações como esta que podemos observar no “Boneco”, fotografia captada há mais de 10 anos, não eram apenas pontuais. O lixo acumulava-se em alguns locais da cidade e não apenas junto aos contentores.
Outro factor que contribuiu para um avanço na resolução deste problema foi também a implementação de Ecopontos e a sensibilização da população em geral para a necessidade de reciclar.
Já percorremos um longo caminho, mas ainda há muito para fazer.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Blogues anónimos

Hoje verifiquei em diversos blogs alguns posts sobre o anonimato nestes espaços e resolvi também deixar uma palavrinha. Ando por estas paragens (blogosfera) há relativamente pouco tempo, cerca de dois meses, e de início o meu blog também se encontrava anónimo e, assim, permaneceu durante os primeiros quinze dias de existência.
Como já referi anteriormente, o “Estremoz Revisited” apenas pretende ser um espaço de discussão de determinados assuntos que acho pertinentes e que merecem, efectivamente, ser discutidos. Faço isto porque me dá prazer e não com qualquer objectivo pessoal, até porque tenho a clara noção que os blogs em Estremoz têm pouca expressão, ainda!
No entanto, compreendo perfeitamente porque é que, por vezes, as pessoas resolvem não assinar os seus blogs, pois assim evitam de se exporem desnecessariamente a outras, felizmente poucas, que adoram criticar tudo o que se vai fazendo.
Neste âmbito considero que até tenho tido alguma sorte, mas de vez em quando lá aparece um comentário “menos agradável”. Podia aqui dar o exemplo de alguns, mas isso era dar importância a quem não a merece. É claro que ao fim de pouco tempo e com alguma “imaginação” conseguimos detectar a origem de alguns desses comentários.
Isto tudo para dizer que muitas vezes os autores dos blogs não os assinam porque têm receio de ser mal interpretados e de serem alvo de comentários pessoais menos abonatórios.
O anonimato não retira qualidade aos blogs se estes forem construídos de forma séria, evitando críticas falsas e destrutivas. Posso salientar, por exemplo, um dos “velhinhos” da nossa praça que visito com regularidade, o “Kruzes Kanhoto”, e alguns mais novos como o “Pica Pau” o “Pelourinho de Estremoz”, o “Lambão”, entre outros.
Bom trabalho para todos.

"Pormenores" com a máxima importância!

Como é óbvio, quando coloquei o post “20 minutos de ponta” em Estremoz tinha a perfeita noção de que em termos de filas de trânsito não nos podemos comparar, “nem de perto nem de longe”, com as grandes cidades como Lisboa ou Porto.
Quando nos deslocamos a Lisboa e tentamos entrar na 2ª circular à hora que entrei hoje, 17:30, o melhor é levar um livro porque dá tempo para colocar a leitura em dia.
Se de Estremoz à entrada da 2ª circular demorei cerca de uma hora e quinze minutos (156kms), daí até a Alfragide foi mais de uma hora e meia (15kms).
Se, por vezes, comparamos pejorativamente Estremoz em relação aos grandes centros urbanos também devemos realçar as vantagens de se viver num meio pequeno e pacato. O facto de demorarmos cinco minutos de uma ponta a outra da cidade e de não nos depararmos, pelo menos frequentemente, com condutores que se “vingam” do stress do dia na buzina do seu automóvel são “pormenores” com a máxima importância.

Estremoz

Lisboa

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Vergonhoso!

O texto que trago para discussão, publicado no jornal Brados do Alentejo, é elucidativo da revolta que “vai na alma” de quem vê a sua residência ser assaltada e as responsáveis fugirem da instituição para onde foram enviadas, pouco tempo depois de capturadas pela PSP em flagrante delito.
As jovens, além de terem sido identificadas por uma das vítimas de outro assalto que ocorreu no dia 19 de Janeiro, eram também as principais suspeitas de outros dois que ocorreram no dia 18. Se ao contactar os lesados, estes tinham algumas esperanças de recuperar os seus bens após a detenção das criminosas, estas desvaneceram-se no momento em que elas fugiram.
Todas as vítimas lamentaram a perda dos seus bens que, para além do valor material, tinham também um grande valor sentimental.

VERGONHOSO
“Mais do que preocupados com tudo aquilo que se passou na nossa casa, o nosso sentimento é de indignação por sabermos que menos de 24h depois de terem sido apanhadas em flagrante a roubar na nossa casa, conseguiram fugir da instituição para onde foram enviadas. Onde estava a segurança para que isso não acontecesse? Quem são os responsáveis?
Quando vemos a comunicação social referir que as "suspeitas de furtos em residências fugiram", ainda ficamos mais estupefactos. Suspeitas?? As senhoras, meninas ou o que quer que sejam não são simples suspeitas, elas foram detidas em flagrante!! MAS COMO ESTÁ O NOSSO PAÍS NADA DISTO NOS ADMIRA! É vergonhoso que a polícia e os juízes não possam fazer aquilo que deveriam e que, tenho a certeza, vontade não lhes faltaria. Quando ouvimos o senhor Presidente da República dizer que os legisladores têm que ter cuidado com o que legislam, é bem verdade. Aqueles 230 senhores e senhoras (quando são!) que fazem as nossas leis deveriam fazê-las também para defesa das pessoas. Mas o que acontece é que a população cada vez se sente mais desprotegida até pela própria Lei, agora imaginem os polícias e os juízes que são obrigados a cumpri-las.
No nosso caso as assaltantes não conseguiram levar nada graças ao alerta da nossa vizinha (a quem estaremos eternamente agradecidos) e à rapidez e eficiência dos agentes da PSP de Estremoz, mas nós temos a perfeita noção que na maioria das vezes isso não acontece. O sentimento de termos alguém na nossa casa que entra sem pedir licença e se tenta apoderar dos nossos bens é um sentimento de revolta muito grande”.
(A publicação deste texto no blog “Estremoz Revisited” foi devidamente autorizada pelo seu autor, Luís Parente)

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Feira “Saldos de Stocks”

Como forma de contribuir para atenuar as dificuldades do comércio do concelho, a Câmara Municipal de Estremoz inaugurou hoje a 1ª edição da Feira “Saldos de Stocks”. O certame decorrerá até domingo, dia 8 de Fevereiro, no Parque de Feiras e Exposições da cidade, e conta com a participação de cerca de 40 expositores de diversos ramos da nossa economia.
Apesar de estarmos a viver dias difíceis, penso que esta poderá ser uma boa oportunidade de negócio tanto para os comerciantes como para os estremocenses. Logo nas primeiras horas havia muita gente já a comprar, até porque os artigos se encontram a preços muito apetecíveis e, na sua maioria, com reduções superiores a 50 por cento. Esta é efectivamente uma verdadeira Feira de Saldos!
Para o ano, e se esta 1ª edição decorrer de forma positiva, penso que se poderia tentar aumentar o número de expositores e também apostar-se um pouco mais nos espectáculos.
Se puderem passem por lá!
Tive também a oportunidade de falar com diversos comerciantes locais e de lhes colocar duas questões:
1. Como se encontra o comércio local?
2. Quais as expectativas para esta f
eira?

Elviro Silva
“Kaos Fashion Store”

1. O comércio está muito mau. Estamos numa cidade de interior e as “ModaAlfas” e as “Wortens” têm rebentado com o resto.
2. Sinceramente, espero muito pouco deste feira. Sou muito pessimista e, por isso, prefiro ter uma boa surpresa do que uma desilusão!








Elsa Borbinha
“Encantus”

1. O comércio local está fraco!
2. Penso que este género de iniciativas irão ajudar o comércio. Temos aqui oportunidade de divulgar os nossos artigos e de escoar algum stock.









Manuel Veiga
“XL Fashion”


1. O comércio local está a passar por grandes dificuldades. Devido às novas estruturas (Modelo) está-se a perder o comércio tradicional.
2. Tenho boas expectativas para a feira, apesar de ter sido um pouco tarde.







Pinócrates

A JSD resolveu chamar de mentiroso ao primeiro-ministro, José Sócrates.
Para tal colocou-lhe um nariz de pinóquio e fez o “Pinócrates”. Admito que a ideia até seja engraçada, mas será mesmo este género de campanha política que queremos ver nas próximas eleições? Este cartaz não será ofensivo de mais?
Manuela Ferreira Leite, um pouco atrapalhada, respondeu aos jornalistas que “a JSD sempre foi irreverente”, mas será suficiente a desculpa materna para aliviar esta questão.

Com esta resposta da líder do PSD, parece-me que brevemente iremos ver “novas figuras de banda desenhada” distribuídas pelo País.
Este post é apenas um comentário à acção da JSD e não possui qualquer conotação política.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

VII JOGOS FLORAIS DE AVIS

VII JOGOS FLORAIS DE AVIS

O Sr. Fernando Máximo de Avis solicitou a divulgação no “Estremoz Revisited” dos “VII JOGOS FLORAIS DE AVIS”, o que farei com o maior prazer.
Tudo por uma boa causa: “a DEFESA DA CULTURA POPULAR”.

Os "VII Jogos Florais de Avis" são uma iniciativa da AMIGOS DO CONCELHO DE AVIZ - ASSOCIAÇÃO CULTURAL, a que podem concorrer todos os cidadãos portugueses abrangidos pelo que se dispõe no presente regulamento.
Regulamento disponível em:
www.aca.com.sapo.pt
Contacto: 969015106


(Envio de Trabalhos até 09 de ABRIL de 2009)

terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Boneco

Brados do Alentejo 446
27 de Março de 1998

Mostra…
Mais uma das entradas de Estremoz, com o cartão de visita que já vem sendo habitual.
Entulho e lixo ali deixado por aqueles, os tais, para quem a palavra civismo não consta no seu vocabulário…
Pena?! Nós diríamos MULTA!!!

Hoje

Neste caso, e praticamente 11 anos depois, quase que poderia lançar um desafio daqueles complicados que só fazemos quando estamos muito aborrecidos, tipo passatempo…

VEJAM AS DIFERENÇAS!!!
1. O entulho saiu, mas o lixo contínua, apesar de ali tão perto existir um caixote e um ecoponto!
2. As ervas estão mais verdes, talvez por ser fruto da época (Inverno).
3. Está uma carrinha na segunda imagem que não existe na primeira.

A partir daqui, e porque não tenho muito jeito para este tipo de jogos, não consigo achar mais nenhuma diferença!!!

Tentem vocês!

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

20 minutos de ponta!

Em alguns aspectos, Estremoz já se começa a parecer com os grandes centros urbanos.
Já se começam a vislumbrar algumas filas de trânsito, um pouco por toda a cidade, com maior incidência nos cruzamentos junto ao Centro de Saúde e em frente à Escola Secundária Rainha Santa Isabel. Esta hora de ponta ou, mais precisamente, estes “20 minutos” acontecem principalmente de semana, de segunda a sexta-feira, e entre as 17h20 e as 17h40, complicando-se em dias de muita chuva, como foi o caso da passada sexta-feira.
Será este mais um sinal de que estaremos a evoluir?

domingo, 1 de fevereiro de 2009

À espera que caia!!!

O post e as fotografias que se seguem foram enviadas para o “Estremoz Revisited” por um veirense indignado com o estado em que se encontra o castelo desta localidade. O autor deste texto endereçou também uma carta para o programa da SIC “Nós Por Cá”.


Eu, Paulo Jorge Candeias Sapata, natural e residente em Veiros, uma localidade do alto Alentejo, concelho de Estremoz, trago-vos um caso no mínimo de rir ou de revoltar qualquer pessoa desta localidade, mas ao que parece ninguém está sequer preocupado.
Temos na localidade um castelo que, embora não se conheça a data precisa da sua fundação, foi elevado em 1377 ou 1380 por D.Afonso, 8º conde de Barcelos e 1º duque de Bragança, o iniciador da poderosa casa de Bragança. Até aqui, é apenas mais um pedaço da historia de Portugal, mas o vergonhoso é o que lhes vou explicar e enviar fotos sobre o que se passa neste “castelo”,.
Em 1939 foi objecto de obras por parte do poder publico e classificado como IMOVEL DE INTERESSE PúBLICO POR DECRETO DE LEI EM 18 DE JULHO DE 1957, tendo mais recentemente, em 1998, a Câmara Municipal de Estremoz feito nova intervenção de recuperação no âmbito do Plano Global de Intervenção do Centro rural de Veiros. Até parece que o poder publico e local tinha feito algo de útil pelo nosso património mas não.
Para começar o “ Castelo” é propriedade privada… caricato não? Para ser visitado apenas é necessário ir à junta de freguesia local, mas nada disto acontece porque na realidade só é preciso tirar um arame que fecha um portão que só falta cair!
Por fora é uma edificação imponente até iluminada pelo poder público, mas por dentro o estado de abandono é tal que está em ruínas mas mesmo tudo em ruínas, conforme demonstram as fotos que envio que julgo que explicam melhor que todas as palavras que possa dizer.
A minha revolta sobre o que se passa neste castelo que é de todos nós e visto que ninguém quer saber do nosso património nem junta de freguesia nem câmara ou outro poder publico, não sei se estão a espera que o referido caia e o transformem em ruínas de interesse publico. O referido património podia ser utilizado para o turismo ou até para uma pousada, como já tentaram, mas quem tem o poder em veiros não deixou. É vergonhoso que quem manda apenas queira encher os bolsos de dinheiro em vez de fazer algo por todos e não apenas o que lhe dá jeito.