quinta-feira, 30 de julho de 2009

"Prisioneiros" na própria casa!

Recebi de um casal amigo um email com algumas fotografias e um vídeo acerca de uma situação muito complicada que estão a atravessar e que publico de seguida.
Estamos a falar de um caso grave de saúde pública que está a levar os proprietários de uma residência ao desespero. Diariamente assistem à entrada de dezenas de baratas no interior da sua habitação e estão de “mãos atadas” à espera que a Câmara Municipal actue.
Decidi não divulgar os nomes dos proprietários para preservar a sua identidade.
Esta situação NÃO OCORREU EM ESTREMOZ, mas numa localidade “vizinha”.
As fotografias são muito elucidativas.


“Olá Jorge,
Estive de férias e quando cheguei a casa deparei-me com um cenário invulgar para “os dias que correm”, como podes ver pelas fotos que te mando em anexo.
Esta não é uma situação nova, pois já tem um ano. De uma sarjeta, situada junto à minha residência, saem às centenas de baratas que penetram no interior da minha casa. Certas noites mais parecem um rebanho de ovelhas que sai para pastar (mas dos grandes). O que no início parecia uma coisa simples e que poderia ser resolvida com insecticida, passou, neste momento, a uma situação bem mais complicada. Para além da garagem, elas já me aparecem um pouco por todo o lado na minha casa. Em conversa com outros vizinhos apercebi-me que também eles têm o mesmo problema mas que, talvez por vergonha, não dizem nada a ninguém. Como eu os compreendo!
Durante a noite, eu e a minha família, somos prisioneiros dentro da nossa própria casa uma vez que nem sequer nos podemos dar ao luxo de abrir uma janela para não correr o risco de entrarem mais baratas. Pensei em fazer uma desinfestação mas foi-me dito que enquanto o problema não fosse resolvido no esgoto não valia a pena, pois "é deitar dinheiro para o lixo", foi a expressão utilizada.
Tal como no ano passado, depois de me ter apercebido de que o problema vinha dos esgotos falei com câmara e, tal como no ano passado, foi-me dito, entre outras coisas, que já tinham conhecimento e que era necessário abrir concurso público para se fazer uma desinfestação aos esgotos e que essas coisas levam o seu tempo. Ou seja, que espere que chegue o inverno e que a situação fique resolvida até ao próximo verão e então nessa altura se alguém se queixar volta-se a dizer o mesmo. Segundo me foi dito pela câmara no ano passado foi feita uma desinfestação… O que é curioso é que aqui na rua ninguém se lembra de nada. Aliás, a própria câmara não foi capaz de dizer o nome da empresa que tinha feito a mesma.”
CM

video

2 comentários:

Anónimo disse...

Aí desgraçado. Aconteceu-me o mesmo á pouco tempo e custei caro a ver-me livre da bicharada.

Anónimo disse...

não sei se estamos a falar da mesma localidade mas eu moro em elvas no bairro da quinta dos arcos e está-me a acontecer o mesmo!