quinta-feira, 3 de setembro de 2009

Das Quintinhas para Santiago?

Hoje, dia 3, foi publicado na edição 719 do jornal Brados do Alentejo um breve apontamento acerca da abertura do concurso público para apresentação de propostas para a construção do novo quartel do Destacamento Territorial da GNR de Estremoz:

"Quartel da GNR em concurso
Segundo anúncio publicado no Diário da República, II Série, nº168, de 31 de Agosto está aberto o concurso público para apresentação de propostas para a construção do “quartel” do Destacamento Territorial da GNR de Estremoz. Nos termos do anúncio, o prazo para entrega das propostas é de 30 dias a contar da data da publicação na folha oficial e o preço base do empreendimento de 2 milhões e 800 mil euros. O prazo de execução da obra está fixado em dez meses.”


São boas notícias, principalmente, para os agentes desta Força de Segurança que passarão a usufruir de umas instalações dignas para o exercício das suas funções.
O problema, na minha opinião, reside na localização desta infra-estrutura que será construída no afamado ‘bairro’ das “Quintinhas”. O que será feito destas famílias?
Com a GNR à porta, não me parece que fiquem por ali muito tempo, apesar de estarem situados num local privilegiado, junto ao Modelo. Também não equaciono a hipótese de se construir um bairro social.
De todas as formas, quem já aplaudiu esta medida foram, de certeza, os moradores nas imediações daquele ‘bairro’ que não têm tido descanso. Desde telhados e vidros apedrejados, objectos roubados, noites sem dormir (devido às festas), ratos, ratazanas e cobras, tudo lhes tem calhado. (Não estou a acusar ninguém... estou apenas a constatar um facto).
Não deve ser fácil morar num local onde não se pode sair à rua com receio que as pedras lhe caiam em cima!!!
Quanto à nova localização destas famílias as opiniões dividem-se, mas permito-me deixar a minha (opinião) acerca de um local provável para esta mudança. Existe um bairro em Estremoz, que toda a gente fala mas que poucos conhecem, que é perito em “receber” toxicodependentes, gatunos, alcoólicos e, infelizmente, até porque não têm outra hipótese, famílias de baixos rendimentos. Estou a referir-me, como é óbvio, ao Bairro de Santiago.
Para mim, se nada se fizer, esta será a localização provável dos actuais moradores do ‘bairro’ das Quintinhas. A comprovar-se este facto, os gravíssimos problemas sociais que já existem no Bairro de Santiago irão agravar-se. Assim, antes de iniciarem as obras de construção do novo quartel é essencial que se tomem medidas para se realojarem estes indivíduos de etnia cigana, mas só aqueles com morada oficial no ‘bairro’. De contrário, corremos o risco de resolver um problema e estar a criar outro maior.

8 comentários:

Anónimo disse...

EU SEI QUE TU SABES QUE EU SEI.PARABENS JORJE PELO TEU TESTO E TUA CORAGEM«SIM CORAGEM PORQUE A NOSSA TERRA ESTA MINADA DE PSEDOS JORNALISTAS QUE TEM MEDO DE TOCAR NO ASSUNTO» É com grande alegria que recebo esta noticia,MAS recordo-vos que a jurisdiçao das quintinhas pertence á psp.pode dar-se o caso de um habitante estar a ser molestado«roubado,agredido,apedrejado»por essa gente e a gnr a ver sem poder fazer nada enquanto a psp anda ás voltas ao rossio como habitual.

gajo do castelo disse...

Infelizmente acho que tens razão... vai acabar por acontecer

Anónimo disse...

Sei que não tem muito a ver com este caso, mas ainda assim gostaria de dar destaque a uma noticia que li hoje nos "Brados". O autor é Jorge M Pereira, (não sei se é o mesmo do Blog) e está na pag. 7 com o titulo "Detidos por posse de Cocaína":
De acordo com a noticia, foram necessários 12 POLICIAS, para deter 1 individuo. Tudo bem, os policias lá fizeram o seu trabalho, mas de facto esta noticia contraria aqueles que dizem que em Portugal há poucos policias. Agora digo eu: Para quê mais policias? quanto a mim, são suficientes. Não têm é qualquer poder. Quando o traficante foi preso, logo o Delegado do Ministério Público se encarregou do libertar, sabendo que no momento a seguir esse mesmo traficante voltou a seu "trabalhinho". Pena é que a "coca" não vá ser vendida aos filhos do individuo do MP, ou aos filhos Juízes ou dos políticos que aprovam estas leis. Talvez assim, não fosse necessária mais Policia na rua como por aí se reclama.
Manuel Costa

Jorge Pereira disse...

Sr. Manuel da Costa,
O autor da notícia do jornal Brados do Alentejo é o mesmo que do blogue.
Quanto ao número de agentes que participaram nesta operação foram seis: (...) “Esta operação envolveu seis agentes da PSP, quatro da Brigada de Investigação Criminal da esquadra da Polícia de Segurança Pública de Estremoz e dois da esquadra de Investigação Criminal do Comando Distrital da PSP de Évora”.
Uma leitura menos atenta poderá levar a essa interpretação, mas quando escrevi a notícia indiquei o número total dos agentes que estiveram envolvidos e posteriormente as esquadras a que pertencem.

Obrigado pela participação e espero que o tenha esclarecido.

Anónimo disse...

Raça ruim!!!
Mas pensa positivo : o ideal era eles desaparecerem daqui de vez, mas se forem re-alojados em Santiago, em vez de duas só se estraga UMA casa...

Anónimo disse...

Jorge,
Eu fiquei esclarecido, mas o conteúdo e o importante da mensagem não era própriamente o numero de policias, que quanto a mim, fizeram um bom trabalho, que era aliás, o que lhes competia. Até podia ser só um policia. O que eu quis realçar foi o facto dos policias prenderem e os Juizes ou o MP libertarem, para logo de seguida, os criminosos voltarem ao mesmo.
Obrigado pela publicação
Manuel Costa

Anónimo disse...

Caro Jorge,
Mais uma vez aqui estou como anónimo. Não é ao meu gosto mas tem que ser assim, por motivos óbvios. Aprecio e valorizo a sua coragem, e a forma como está atento aos problemas de Estremoz. Já lhe manifestei pessoalmente. Não falamos muito, mas quando falamos compreendemo-nos mutuamente. Também sou dos que vivem o presente com preocupação no Futuro. O título do seu editorial, (que é actual, e oportuno)"Das Quintinhas para Santiago?", sinceramente, preocupa-me, não gosto e estou totalmente contra. O bairro de Santiago, é e será um bairro como todos os outros, simplesmente precisa de mais ajuda, mais apoio e mais atenção. Por favor, não deixem que isso aconteça, o bairro de Santiago, os seus moradores, e o seu Povo, não merece tal desgraça. Vivem no Bairro de Santiago famílias de vários extractos sociais, e etnias diferentes, mas respeitam-se mutuamente e vivem em comunidade. Mas realojar para ali as pessoas das Quintinhas, Não... Poupem-me, e poupem o bairro que poderá vir a ser o mais bonito e mais interessante de Estremoz. Assim as pessoas queiram, as autoridades colaborem e quem pode ajudar, que o faça. Se cada um fizer a sua parte, será fácil. Eu, farei a minha, como sei que você Jorge, faz a sua. Seria bom que todos disessem "Presente". Deve continuar a noticiar e a fazer como faz,... "Bém" - Mas desta vez o meu título para o editorial, seria "Das Quintinhas para Santiago. Não... Não, muito obrigado.
Um Abraço.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.