terça-feira, 22 de setembro de 2009

Vamos ficar a ver o resto cair???

A habitação que se pode observar na primeira imagem já apresentava um elevado estado de degradação quando a fotografia foi captada o que era de esperar que viesse a ruir, facto que se veio a confirmar pouco tempo depois. (imagem 1)
Até aqui nada de estranho, muita gente já tocou neste tema e até faz parte da campanha eleitoral de um partido político da “nossa praça” para as próximas eleições autárquicas!
Na minha opinião, esta é uma situação que merece ser resolvida, mas o problema maior é aquele que está à vista de todos e que parece que ninguém quer ver!
Actualmente as habitações que estavam pegadas, por estarem mais sujeitas às intempéries, apresentam de igual forma um elevado estado de degradação e poderão num futuro próximo enfrentar um destino muito semelhante. (imagem 2)
Isto é que é grave… será que não aprendemos a lição à primeira e vamos deixar as outras habitações também cair? E quando cair será que vamos ter a sorte de ninguém se aleijar?
Por outro lado, os escombros da primeira derrocada ainda não foram retirados e são agora um local de “Excelência” para ratos, ratazanas e todo o tipo de bicharada que ali encontraram as condições ideais para viverem e procriarem. (imagem 3)
Quem não gosta desta situação são as pessoas que residem paredes-meias com estes roedores o que faz deste um caso de saúde pública.
Sei que a autarquia, visto tratar-se de uma propriedade privada, não tem poder para executar qualquer tipo de intervenção, mas vamos ficar impávidos e serenos à espera que o resto caia?




7 comentários:

CM disse...

Eu, cá pela cidade onde moro quando me vi a braços com uma situação de saude publica em que parecia não existirem responsaveis passado um ano do problema se ter manifestado e de ter alertado as autoridades "competentes?" neste caso a camara, visto que a bicharada saia dos esgotos resolvi enviar uma carta ao delegado de saude devidamente fundamentada e acompanhada de um video onde se viam os bicharocos que nos atormentavam(baratas)em quantidades industriais passados 2 dias estava o delegado de saude a ligar-me por causa da situação e passados mais dois dias já se sabia quem eram as entidades responsaveis e elas apareceram juntamente com o delegado de saude para verem o que se estava a passar e no mesmo dia fizeram uma desinfestação que pelo menos por agora está a resoltar, mas pelo meio ainda tive que "ameaçar" que ia para a TV expor a situação.

Anónimo disse...

Penso que de uma vez por todas o poder central deveria transferir competências às autarquias para intervirem em propriedade privada, caso esta cause risco para a saúde pública!
As autarquias são quem conhece melhor "o terreno" e não podemos estar todos reféns de leis que protegem proprietários desinteressados ou sem capacidade financeira para manter o seu património.
A desapropriação a favor da autarquia é a única solução que vejo para estas situações, tanto neste caso, como por exemplo no caso da praça de touros.

Anónimo disse...

E tudo isso, na zona histórica da cidade. Não deixa de ser, sem duvida alguma, um excelente cartão de visita para os turistas que visitam a nossa cidade. e o mais engraçado disto tudo é que ainda são atribuidos a esta cidade prémios de excelência. E em risco de acontecer o mesmo que aconteceu a esta, estão dezenas. Tenham vergonha.

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

A situação é mais grave do que parece.
A Rua dos Banhos é um "gueto".
De um dos lados é o prédio caído, do outro é um estacionamento caótico.
Não permite ambulâncias, carros de Bombeiros, Táxis, outros carros das instituições, virem à rua socorrer pessoas e bens.

A Rua é habitada por pessoas idosas que todos os dias necessitam de sair para as várias instituições e serviços. Essas pessoas devido à sua idade têm problemas de mobilidade,vão a pé todos os dias,(quer chova quer faça sol), até onde as carrinhas conseguem chegar.

Se se der um incêndio, como é que os Bombeiros chegam à Rua?
Se alguém adoecer e tiver que ir de ambulância, como é que ela lá chega.
Quanto tempo vai demorar a chegar o socorro?

MJFdS

Anónimo disse...

Há um novo espaço na blogosfera, passem por lá:

http://paraafrenteestremoz.blogspot.com

OBG

Anónimo disse...

Sr. Pereira, vou só expôr aqui um assunto (que não tem muito a ver com o tema)mas apenas para conhecimento de todos os bloggers:
No ano passado foi feito um abaixo assinado por 110 residentes do bairro da cobata/Av.Sto António, e enviado em carta regist. com aviso de recepção ao Sr. Presidente da Câmara,pedindo a instalação de bandas sonoras (lombas) e/ou semáforos de controle de velocidade, á entrada de Estremoz, frente ao Pingo Doce, pois só quem lá mora, é que sente o perigo de atravessar aquela estrada, visto que passam viaturas (e muitas) a mais de 100 Km/h, principalmente as que entram na cidade, vindo do lado do cemitério...
Enfim, isto para dizer o quê? NÂO obtivemos qualquer resposta ao referido abaixo-assinado!!!
Isto só demonstra uma grande falta de respeito, ou de interesse, pelos apelos dos estremocences...
Enfim...esperemos que não venham a resolver esse problema, depois de algum estremocence ser atropelado ou morto!